13 de ago de 2009

A Unidade da Igreja

"A túnica, porém, tecida de alto a baixo, não tinha costura. Disseram, pois (os soldados) uns aos outros: Não a rasguemos" (João 16.23,24).

Os carrascos que crucificaram Jesus não ousaram dividir sua túnica, toda tecida de alto a baixo sem costuras, mas muitos cristãos têm dividido, não apenas a túnica, porém o próprio Corpo de Cristo, a sua Igreja. Aconteceu em Corinto (1° Coríntios 1.10-13; 3.1-3). Paulo pergunta: "Está Cristo dividido?" O verbo usado, merizo, dividir em partes, está na forma intensiva memerizo - repartir, ou seja, considerar cada parte como se fosse o todo desconsiderando o valor das outras partes. A pergunta de Paulo é retórica e só pode comportar respostas negativas: Absolutamente, Cristo não está dividido. Do mesmo modo a Igreja, corpo de Cristo, não pode estar dividida. Quando nos referimos à túnica inconsútil, estamos querendo dizer que Jesus deixou para a sua Igreja uma doutrina sem os remendos do judaísmo, sem retalhos da filosofia grega, sem quaisquer fragmentos do politeísmo romano. E que hoje devemos manter a túnica de Cristo isenta de remendos de doutrinas dos homens,
uma túnica inconsútil.

O retrato da Igreja do sonho de Jesus está em Atos 2.44: "E todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum". Uma Igreja unida, não apenas reunida no mesmo lugar, recebe o poder do Espírito (Atos 2.1), tem paz, é edificada e se multiplica (Atos 9.31). Jesus sonhou com uma Igreja unida na perfeição do seu amor para glorificar o Pai em espírito e para expandir o seu Reino.

Bibliografia: Capacitação Cristã - Eclesiologia, a Doutrina da Igreja - JUERP

1 Comentários:

Caro Maxmiler Freitas,
Graça e Paz!

Parabéns pelo artigo!
Hoje, a teoria é personalista:
Fazem o que eu quero ou divido a Igreja.
A Bíblia orienta a sofrermos o dano para não escandalizarmos o evangelho de Cristo.

Que Deus tenha misericórdia de nós!

Pr. Carlos Roberto

Postar um comentário