19 de ago de 2009

Objeções à crença na revelação

As várias objeções à crença na revelação de Deus podem ser agrupadas em três tipos de objeções:

1. Objeção do agnosticismo
"O agnosticismo não afirma nem nega a realidade de Deus, mas nega que Deus possa se comunicar conosco. O absoluto e infinito está tão retirado dos homens - dizem os agnosticos - que não pode dar-se a conhecer a eles" (Mullins, E. Y., La Religión Cristina em su Expressión Doctrinal, CBP, El Paso, Texas, USA, p. 140). O Agnosticismo não é nenhum sistema apoiado em qualquer teoria científica. É apenas um processo subversivo que distorce tudo, que não reconhece a coerência do mundo, que não reconhece que o homem tem poderes de personalidade semelhantes aos de Deus, que lhe possibilitam receber a entender a sua manifestação.

2. Objeção panteísta
Panteísmo é a concepção filosófica que não reconhece a realidade de Deus como ser distinto, diferente e separado do mundo tangível. Ensina que Deus é imanente em todas as coisas. Ao contrário dessa filosofia, toda a revelação nas Escrituras baseia-se na concepção de um Deus pessoal, distinto do universo e a ele superior, ao qual ele criou e governa. Deus existe em si mesmo, e tem consciência de si próprio e do mundo exterior que ele criou. Pode, portanto, se revelar à sua criatura, que ele fez inteligente, à sua imagem e semelhança.

3. Objeção das religiões naturais ou filosóficas
Essas religiões ensinam que a divindade faz parte da própria natureza do homem, e que o homem a descobriu em si mesmo pela razão ou iluminação própria. A característica fundamental dessas religiões é o misticismo. O misticismo é um fenômeno religioso e psicológico que incita as pessoas a desprezarem toda possibilidade de revelação objetiva, ou que vem de fora, e a procurarem Deus em si mesmas, em sua própria natureza, em seu mundo interior. Tendo sido incorporado a movimentos religiosos evangélicos, tem contribuído para desvalorização da Bíblia como registro da revelação de Deus para dar lugar a sonhos, visões e vozes. A autoridade da Bíblia é substituída por pretensas experiências pessoais e isto ocasiona sérios desvios de doutrina e de comportamento.

Deus existe em si mesmo, e tem consciência de si próprio e do mundo exterior que ele criou. Pode, portanto, se revelar à sua criatura, que ele fez inteligente, à sua imagem e semelhança.

Por: Delcyr de Souza Lima
Em: Capacitação Cristã - Introdução à Bíblia - JUERP

0 Comentários:

Postar um comentário