21 de jul de 2009

Igreja, um evento sobrenatural


A igreja é um fenômeno sobrenatural. O seu surgimento e a sua sustentação através da história não se devem a fatores geográficos, psico-sociais, culturais, políticos ou econômicos, ainda que esses fatores exerçam natural influência na sua liturgia, na sua metodologia e na sua organização enquanto evento histórico, como bem sugere H. Richard Niebuhr. A igreja transcede à sua própria história. Todos os grupamentos humanos são formados seguindo as leis da dinâmica social. A escola responde à necessidade do saber. Os sindicatos respondem à necessidade de aglutinar os interesses dos que trabalham na mesma profissão. Os clubes, torcidas, associações de classe, academias, cooperativas, condomínios etc. sempre se formam a partir de interesses comuns para atender as necessidades naturais do ser humano. A igreja, porém, não é uma iniciativa do seu humano para atender às suas necessidades naturais. É uma iniciativa de Deus e, portanto, um evento sobrenatural na sua origem ("Edificarei a minha igreja" diz Jesus em Mateus 16.18), na sua mensagem, no efeito da sua proclamação e no seu destino eterno ("e reinarão para todo o sempre - Apocalipse 22.5). A declaração de Jesus "As portas do inferno não prevalecerão contra ela" significa que a igreja é transcedente, imortal e invencível, porque o seu Fundador e Senhor é Deus, é imortal, invencível, e porque todos os que dela fazem parte nele têm a vida eterna. A esse Cristo, Rei dos reis e Senhor dos senhores, adoramos na terra como prenúncio da adoração que lhe prestaremos por toda a eternidade na Glória.

Para Refletir
Quando vamos à igreja, o que nos impulsiona, o que nos anima? Assistir um bonito espetáculo como se estivéssemos em um teatro? Apenas ouvir, receber mensagens? Receber ensinamentos como quando vamos à escola? Encontrar amigos como se igreja fosse um clube social?

O sentimento e a intenção com que vamos à igreja deve ser sempre adorar a Deus. Doar-nos a Deus em adoração.

Para isso, é preciso que já em nossos lares sejamos adoradores de Deus. Quando adoramos a Deus no íntimo do coração e no recesso do lar, ir à igreja para adorar a Deus adquire o seu verdadeiro sentido e podemos dizer como o salmista: "Alegrei-me quando me disseram: vamos à casa do Senhor" (Salmos 122.1).

Extraído da revista: "Capacitação cristã", "Série Aperfeiçoando". Edição n° 3 - Eclesiologia - A doutrina da igreja 

2 Comentários:

Ok, irmão eu agradeço sua visita.......

Quando vamos a igreja para adorar ao Senhor, não ficaremos olhando para os defeitos que essa possa ter.

Postar um comentário