4 de abr de 2010

A Constituição do Novo Testamento

João na ilha de Patmos
João na ilha de Patmos
Os livros do Novo Testamento classificam-se em quatro grupos:
  1. Literatura de biografia1 (os quatro Evangelhos);
  2. Literatura de história (o livro de Atos dos apóstolos);
  3. Literatura epistolar (as Cartas, ou Epístolas);
  4. Literatura profética apocalíptica (o livro de Apocalipse). 

1. Os quatro Evangelhos
Narram os acontecimentos do início da vida de Jesus Cristo, e os de seu ministério. Dão ênfase aos seus milagres, aos seus ensinos e aos acontecimentos ocorridos com ele como cumprimento dos desígnios de Deus, como sua morte para remissão dos pecados, sua ressurreição para provar sua natureza e filiação divinas (“Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos” – Rm 1.4), e sua ascensão gloriosa ao céu.

Os três primeiros Evangelhos, Mateus, Marcos e Lucas, narram a vida de Jesus adotando uma perspectiva, e por isso são chamados de “Evangelhos Sinóticos”. O quarto Evangelho, o de João, adota uma perspectiva diferente: Numa “Harmonia dos Evangelhos”, pode-se notar, com clareza, essa diferença, tendo-se até a impressão de que João tenha se preocupado em incluir, em seu Evangelho, segmentos importantes, não abordados pelos outros escritores, ao mesmo tempo que omite alguns segmentos abordados por eles.

2. Livro dos Atos dos Apóstolos
De autoria de Lucas, o mesmo autor do terceiro Evangelho, este livro registra o nascimento da igreja, com o advento do derramamento do Espírito Santo, as primeiras conversões, o rápido crescimento numérico, a perseguição e a dispersão que resultaram no avanço do evangelho para fora da Judéia e para fora das fronteiras da Palestina, e a obra missionária planejada, em obediência ao Senhor Jesus, espalhando igrejas pela Ásia e Europa e inda até a Roma.

3. Epístolas paulinas
São treze no total, e foram escritas pelo apóstolo Paulo: Romanos, 1 e 2Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 e 2Tessalonicenses, 1 e 2Timóteo, Tito e Filemon. Dessas cartas, 1 e 2Tessalonicenses são chamadas escatológicas, porque fazem muitas referências à volta de Jesus; Romanos e Gálatas focalizam a salvação e por isso são chamadas epístolas soteriológicas (do grego soter, Salvador); 1 e 2Coríntios são conhecidas como “cartas eclesiológicas” (do grego Eclésia, igreja); Efésios, Colossenses, Filemon e Filipenses foram escritas estando Paulo preso em Roma, e por isso são conhecidas como “cartas da prisão”; Timóteo e Tito foram escritas para oferecer instruções a dois jovens pastores auxiliares de Paulo, e, por isso, são chamadas “cartas pastorais”.

4. Epístolas Gerais
Em número de oito, essas cartas não foram dirigidas a nenhuma igreja, especificamente, daí o nome. São elas: Hebreus, Tiago, 1 e 2Pedro, 1, 2 e 3João, e Judas.

5. O livro da Revelação
Foi o último livro a ser escrito entre os anos 90 a 95 d.C. com o propósito de oferecer esperança aos cristãos que enfrentavam as mais cruentas perseguições. Apresenta a vitória final de Jesus Cristo sobre todos os seus inimigos, e que seu triunfo final se dará com sua volta à terra em poder e glória, quando consumará a história com o juízo final, a ressurreição, a criação de novos céus e nova terra, e termina com a promessa do próprio Jesus: “breve venho”.

__________________________
1. Nenhum dos evangelistas pretende fazer a biografia completa de Jesus; colecionam apenas os atos e as palavras, no intuito de manifestarem instrução prática e doutrinas.

0 Comentários:

Postar um comentário