27 de ago de 2010

Disciplina na Igreja

Disciplina na Igreja
Em II Tessalonicenses 3.14, o apóstolo Paulo ensina aos crentes de Tessalônica a disciplinarem um dos membros da igreja. O que a disciplina da Igreja inclui? Quando ela deve ser empregada? O que as Escrituras dizem sobre ela? Abaixo tentaremos responder a estas perguntas e organizar este processo que frequentemente é tratado com irresponsabilidade e uma boa dose de autoritarismo.
A Definição A disciplina na Igreja é, basicamente, negar a comunhão a um crente em Cristo que está envolvido em um pecado visível.
A Ocasião A disciplina na Igreja inclui cristãos envolvidos em um pecado público (Mt 18.15-17; ICo 5.9-13), especialmente a imoralidade sexual; aqueles que estão criando divisão dentro do corpo de Cristo (Rm 16.17; Tt 3.10) e aqueles que desafiam abertamente o líder da Igreja designado por Deus (II Ts 3.6,7,14; Hb 13.17).
A Razão A Igreja deve exercer a disciplina porque deve permanecer pura (ICo 5.8).
O Objetivo O objetivo da disciplina da Igreja é levar a pessoa em pecado a se arrepender (Tg 5.19,20); "reconquistar" ou restaurar um irmão que está no erro (Mt 18.15; Gl 6.1); fazer que a pessoa em pecado se sinta envergonhada a ponto de mudar (IITs 3.14).
Os Passos Há diversos passos para a disciplina na Igreja. Primeiro, converse em particular com a pessoa. Segundo, se necessário, converse com a pessoa e outro membro da Igreja. Terceiro, se não houver mudança de comportamento, leve o problema à congregação para que toda a Igreja possa incentivar de forma coletiva a pessoa a se arrepender. Por fim, se todas as opções falharem, remova a pessoa em pecado da congregação (Mt 18.15-17).
A Atitude O tom da disciplina na Igreja deve ser cuidadoso, porém firme (Gl 6.1). As pessoas que exercem a disciplina na Igreja devem pôr de lado qualquer ressentimento, ódio, ou má fé para que possam facilitar a verdadeira restauração.
Os Mandamentos Mt 18.15-17; Rm 16.17; ICo 5.1-13; Gl 6.1; IITs 3.6,7,14,15; Tt 3.10,11; Hb 13.17; Tg 5.19,20.

0 Comentários:

Postar um comentário