19 de jun de 2009

Introdução ao Livro de Êxodo

1. Autor e Data
    Moisés, por volta de 1445-1405 a.C
    Muitos estudiosos baseados em Êx 17:14; 24:4; 34.27,28 apontam Moisés como autor da forma final do livro. Pois, tendo lançado mão de fontes escritas ou orais, ele escreveu a primeira seção do Livro de Êxodo (Ex 1:1-22; 2 :1-10), o que é claramente percebido. A partir dai, vemos uma coletânea de suas memórias narradas de forma paulatina, em acordo com os acontecimentos. Analisando o Livro de Êxodo pode-se perceber que Moisés foi testemunha ocular dos acontecimentos registrados no Livro (Ex 2:12; 9:31,32; 15:27).
    Há críticos que entendem que Moisés escreveu apenas alguns fatos específicos como a descrição da derrota dos amalequitas (Ex 17:8-13), o “Livro da Aliança” (Ex 21-23) e as instruções em Ex 34:10-26. Outros negam completamente a autoria de Moises no Êxodo. Atribuem a autoria do Livro a diversos autores que, segundo a Teoria Documentaria - JEDS, o concluíram num período da história de Israel muito posterior aos dias de Moisés.
    Segundo o historiador judeu Flávio Josefo, o nome hebraico Moshé (Moisés) significa “salvo das águas”. No idioma egípcio “Mo” quer dizer água e “isés” preservado.
    A vida de Moisés apresenta-se em três fases distintas:

    a) 40 anos como príncipe no Egito
    b) 40 anos peregrinando no deserto de Mídia como pastor de ovelhas.
    c) 40 anos como guia da Nação de Israel no deserto.

2. Título do Livro
    ÊXODO significa “saída, partida”. O termo Êxodo  (em gr. éksodos) foi dado como título a este segundo livro da Bíblia pela versão Septuaginta Grega (LXX).
    O Livro de Gênesis apresenta a entrada de Israel no Egito através de José, com setenta pessoas (Gn 46:26,27). O Livro do Êxodo apresenta a saída do povo de Israel do Egito, após 430 anos de cativeiro egípcio – com cerca de 600 mil pessoas, afora mulheres e crianças (Ex 12:37 ARA).
    Em continuidade ao Gênesis, o Êxodo mostra o cumprimento da Palavra de Deus dada a Abraão em Gn 15: 13,14 – “Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos. Mas também eu julgarei a gente ti qual servirão, e depois sairão com grande fazenda.” Compare Ex 12:40,41, com, At 7:6; Gl 3:17.
    O tempo de escravidão no Egito – 400 ou 430 anos? – Segundo alguns estudiosos, registrou-se quatrocentos e trinta anos, porque a versão bíblica Septuaginta (LXX) incluiu as peregrinações dos patriarcas em Canaã, nos quatrocentos e trinta anos.

3. Tema do Livro do Êxodo
    A Redenção.
    a) No Gênesis, observamos a Redenção pelo sangue do cordeiro por uma pessoa: Isaque (Gn 22:1-18).
    b) No Êxodo, observamos a Redenção pelo sangue do cordeiro por uma nação: Israel. (Ex 12: 1-42).
    c) No Gólgota, observamos a Redenção pelo sangue do Cordeiro JESUS CRISTO por toda a Humanidade – JESUS “O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. (Jo 1: 29) – Os acontecimentos dos Livros de Gênesis e Êxodo prefiguravam a grande Redenção efetuada através de Cristo.

    O tema do livro trata da escravidão da nação hebraica e sua posterior redenção. Redenção que culmina com uma nova revelação do Deus santo.
    Assim, o Livro do Êxodo nos ilustra que:
    a) A Redenção de Israel o constrangeu a um conhecimento maior do seu Redentor, através da Lei e das operações divinas;
   b) A Redenção de Israel exigiu adoração e sacrifícios ao seu Redentor, por meio do sacerdócio;
    c) A Redenção é primordial para que haja comunhão com o Deus santo. Mas, ainda que o povo seja redimido, a purificação das contaminações será uma constante para preservar tal comunhão.

4. Esfera de Ação do Livro de Êxodo
    A abrangência total da esfera de ação do Livro de Êxodo estende-se desde a morte de José à construção do Tabernáculo. O Livro em seu primeiro capítulo fala da morte de José; e em seu último capítulo (cap. 40) fala da construção do Tabernáculo.
    Todavia, no que diz respeito ao tempo em que aconteceu o êxodo – saída do povo de Israel do Egito – alguns estudiosos observando I Rs 6:1 – onde está registrado que o êxodo ocorreu 480 anos antes do quarto ano do rei Salomão  propõem o ano 1445 a.C como a data bíblica para o êxodo de Israel.
    O Dr. Myer Pearlman em seu livro Através da Bíblia Livro por Livro - editado pela CPAD, ilustrou a esfera de ação do Livro de Êxodo assim: “Começa com um povo escravizado, habitando na presença da idolatria egípcia e termina com um povo redimido habitando na presença de Deus.”

5. Algumas Características Particulares do Livro de Êxodo
    a) A primeira vez que a Bíblia faz menção de música e cânticos é em Gn 31:27; mas, a primeira vez que Bíblia fala de adoração com cânticos – assunto muito vasto nas Escrituras é no Livro de Êxodo 15:1-21.
    b) Os Dez Mandamentos o Decálogo (cap. 20). Uma síntese dos padrões morais e justos exigidos por Deus para o Seu Povo. Na descrição dos Seus Mandamentos a base da ética e da moralidade bíblica.
    c) A vida do próprio Moisés; a Páscoa; a Travessia do Mar Vermelho; o Maná; a Rocha ferida e a água; Tabernáculo; o Sumo sacerdote. Todas estas características particulares do livro do Êxodo são tipos que prenunciam Cristo e a Redenção no Novo Testamento.

6. Conteúdo do Livro de Êxodo
    O conteúdo do Livro de Êxodo se divide em torno de cinco acontecimentos principais: Israel no Cativeiro Egípcio; Redimido do Cativeiro; Viajando no Sinai, Recebendo a Lei e Israel Adorando ao Senhor.
    a) Israel no cativeiro egípcio (caps. 1-2)
        A opressão, a escravidão e o infanticídio (cap. 1)
        O nascimento e a educação de Moisés (cap. 2: 1-10)
        O zelo precipitado, a fuga e o casamento de Moisés (2: 11-22)

    b) Israel redimido do cativeiro (caps. 3-15)
        O chamamento de Moisés (caps. 3- 4:1-17)
        O retorno de Moisés ao Egito (cap. 4:18-31)
        O conflito com Faraó (caps. 5-6)
        As dez pragas (caps. 7-11)
        A Páscoa (cap. 12)
        A Travessia do Mar Vermelho (cap. 14-15:21)

    c) Israel viajando no Sinai (caps. 15-19).
        As águas de Mara (cap. 15)
        Elim – fontes e árvores (cap. l5)
        O deserto de Sim – o maná (cap. 16)
        Refidim – a Rocha ferida; Batalha contra Amaleque (cap. 17)
        Sinai – visita de Jetro (cap. 18)

    d) Israel recebendo a Lei (caps. 19-23)
        Moisés subindo ao Sinai. A eleição de Israel como nação sacerdotal (cap. 19)
        O Decálogo – os Dez mandamentos (cap. 20)
        A Lei civil (caps. 21-23)

    e) Israel adorando ao Senhor (caps.24-40)
        Deus dá o modelo do Tabernáculo a Moisés (caps.24-31)
        Quebra da Lei (caps. 32-34)
        A edificação do Tabernáculo (caps. 35-39)
        O Tabernáculo é construído (cap. 40)

OBS – O Livro de Êxodo termina manifestando a Glória e o Poder do Deus Altíssimo, teofânicamente, como nuvem e fogo descendo do Céu sobre o Tabernáculo (Ex 40: 34-38). Na consumação dos séculos a Glória de Deus também descerá para habitar com os homens (Ap 21 :3).

7. A Aplicação Prática do Livro do Êxodo
    a) Entender que no Livro de Êxodo está a mais luzente revelação, do Antigo Testamento concernente a Graça Redentora de Deus e das Suas poderosas ações.
    b) No Livro de Êxodo aprendemos que Deus é quem estabelece como serão as coisas. Ele tem o controle de tudo, mas, por misericórdia, nos permite administrá-las em Sua presença.
    c) Deus deu a Moisés os Seus Mandamentos para serem passados ao Povo (Ex 24:12).
    d) Deus deu a Moisés a planta do Tabernáculo, com todas as suas medidas (Ex 25:9; At 7:44; Hb 8:5).
    e) Deus deu a Moisés as instruções sobre como seriam as vestes sacerdotais, usadas no santuário, para a Sua Glória (Ex 28:1-35).

2 Comentários:

SHALOM!

1. Uma alegria conhecer seu blog. Que o Deus Eterno lhe use como voz profética e apologética.

Medite em Colossenses 3.16

Em Cristo, Pr Marcello de Oliveira

P.s > visite: http:/davarelohim.blogspot.com/

e veja o texto: A Pomba YONÁH - Cantares 2.14

Que honra ter o senhor em meu blog pastor Marcelo! Fico feliz por sua visita.

Já tive o privilégio de acessar seu blog - o conheci através do Blog do Ciro e após conhecê-lo passei a me interessar ainda mais pela exegese bíblica, de fato passei a me interessar mais pelas línguas originais da Bíblia, saiba que apesar de conhecê-lo pouco já o admiro. Mas sou um mero estudante da Bíblia... muito distante de mestres como o senhor.

Que Deus lhe abençoe!

Postar um comentário