28 de jun de 2009

Introdução ao Livro de Deuteronômio

1. Autor e Data
    Moisés por volta de 1445 a.C.
    Cerca de quarenta vezes o nome de Moisés figura no Livro de Deuteronômio, patenteando de maneira velada a sua autoria. Contudo, exclui-se o último capítulo (34) do Livro, que relata a morte de Moisés, e provavelmente foi escrito por Josué, seu amado sucessor.
    Textos que defendem a autoria mosaica do Deuteronômio:
    a) “Estas são as palavras que Moisés falou a todo o Israel” (Dt 1.1).
    b) “Moisés escreveu esta Lei, e a deu aos sacerdotes” (Dt 31.9).
    c) “Assim, Moisés escreveu este cântico naquele dia e o ensinou aos filhos de Israel”. (Dt 31:24)
    d) “E aconteceu que, acabando Moisés de escrever as palavras desta Lei num livro, até de todo as acabar.” (Dt 31 :22,24).

2. Título do Livro de Deuteronômio
    Deuteronômio no original hebraico é Eile Hadevarim - que significa “Estas são as palavras” ou apenas Devarim, i.e., “Palavras” (Dt 1.1). Título extraído da primeira frase do Livro.
    Na versão bíblica grega (LXX ou Septuaginta) Deuteronômio é Deuteros (segundo) + Nomos (lei), que quer dizer “Segunda Lei”, ou “Repetição da Lei”.
    a) O sentido do título “Segunda Lei”, ou “Repetição da Lei” é porque o livro contém a repetição do Decá1ogo, entre outros regulamentos. (Dt 5.6-21)
    b) Ou usou-se a tradução da frase hebraica- “um traslado  da lei” (Dt 17:18) que, numa forma mais correta de tradução, diz: “Esta, é a cópia, ou, repetição da lei”.
    Na versão Vulgata Latina é “Deuteronomion”, pois em latim o título se reproduz da versão grega dos LXX, a Septuaginta.
    Portanto, o termo DEUTERONÔMIO significa “Segunda Lei”, ou “Repetição da Lei”.

3. Tema do Livro de Deuteronômio
    Podemos dizer que o tema do livro de deuteronômio está dividido da seguinte forma: Recorda! Obedece! Cuidado!
    Ou podemos dizer também que o tema é a Revelação do Amor divino.
    Vejamos distintamente:
    A antiga geração rebelde havia morrido (Dt 2:14) excetuando-se Josué e Calebe e a nova geração precisava ouvir a aliança que o SENHOR fizera com seus pais no deserto do Sinai e obedecê-la.
    Este Livro trata das últimas instruções de Moisés ao povo, pouco antes da sua morte e de entrarem na Terra de Canaã. A missão de Moisés foi cumprida. Agora ele repete alguns discursos àquela geração nova, ensinando-os algo sobre a história passada da nação de Israel, e das leis contidas nos três livros anteriores; fazendo que o Livro de Deuteronômio seja um grande sermonário de exortações para os futuros habitantes de Canaã. Não há novas revelações do Senhor a Moisés no Livro, a única história nova é a morte de Moisés. Neste Livro, Moisés admoesta os israelitas a que obedeçam à lei para que prosperem. Lembra-lhes das apostasias e rebeliões de seus pais, e os adverte das conseqüências da desobediência futura. A mensagem de Deuteronômio pode resumir-se em três exortações: Recorda! Obedece! Cuidado!
    A revelação do amor divino:
    A grande mensagem de Deuteronômio também pode ser a Revelação do Amor Divino.
    a) “O SENHOR não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos... Mas porque o SENHOR vos amava... ”(Dt 7:7,8).
    b) De Gênesis a Números o Amor Divino jamais é referido. Pela primeira vez no Pentateuco ocorre tal revelação, mostrando no último Livro o motivo real pelo qual Deus tratou com seu povo nos séculos anteriores: Um Imenso Amor. (Leia Dt. 4:37; 7:7,8; 10:15; 23:5).
    c) Em Gênesis Israel é escolhido, por amor; Em Êxodo Israel é liberto, por amor; Em Levítico Israel se santifica para adorar, pelo amor; Em Números Israel aprende a adorar e andar retamente, através do amor. Mas é em Deuteronômio que Deus revela publicamente a Israel este Amor.
    O Amor Remidor de Deus por nós antecede o nosso amor cristão por Ele (I Jo 4:19).
    O tema de Deuteronômio pode ser ligado, em relação ao passado, presente e futuro de Israel (e indiretamente a nós mesmos) da seguinte forma:
    a) O retrospecto do amor passado (1-4)
        No resumo que Moisés faz ao povo de sua história passada, ele apresenta o quadro das peregrinações no deserto, com reveses e sucessos. Porém, não omite que Israel deve tudo a Deus. Deus aprontou o caminho, aumentou o povo, lhes entregou os inimigos, lhes deu a terra, etc. O amor de Deus estava por detrás de todo o trato com Israel. Submetamo-nos ao Deus que é amor (I Jo 4:8).
    b) Os requerimentos do amor presente (5-26)
        A Lei, aqui, é dada pela segunda vez e há um longo discurso sobre ela. Trata-se agora da vida espiritual de Israel na praticidade da Lei. O termo fazer, no sentido de obedecer, aparece mais de 50 vezes. Prevalece aqui a obediência, pois os amigos do SENHOR são os que lhe obedecem (Jo 15:14). Basta ver na história de Israel, que quando obedecia prosperava, quando desobedecia decaía.
        A Lei de Deus exige Amor (Dt 11: 1). O Amor de Israel – como o amor cristão – só seria verdadeiro quando, indistintamente, se estendesse a outras pessoas (Dt 10:19; I Jo 3:18; 4:20,21). “... Quem ama a Deus, ame também a seu irmão”.
    c) A revelação do amor futuro (27-34)
        A primeira parte do Deuteronômio é histórica, a segunda é legislativa e a terceira é profética. Nesta última parte temos a revelação do Amor de Deus num grau especial. Se Israel obedecesse ao Deus Justo jamais teria sido envergonhado, pois, Moisés nas linhas deste último Livro do Pentateuco os avisou previamente, inspirado no infinito amor divino.
        Antes de sua morte, Moisés chegou a divisar, e escreveu a respeito de:
            Uma Nova Geração: Estes entrariam na Terra de Canaã, pois aqueles que vieram do Egito com mais de 20 anos, exceto Josué e Calebe, haviam perecido.
            Uma Nova Terra: Ao escrever o Deuteronômio Moisés estava nas divisas desta Terra. (Dt 34:1-6)
            Uma Nova Vida: Casas em lugar de tendas; o Templo em lugar do Tabernáculo; vida permanente em lugar de peregrinação; a terra em lugar do deserto; o trigo em lugar do Maná.
        Novos deveres para com Deus e para com os outros: A revelação destes deveres estão detalhadas minuciosamente nos últimos capítulos de Deuteronômio.
        Um Novo Guia: Josué assumiria a liderança do povo de Deus após o falecimento de Moisés. Josué entraria com o povo na Terra Prometida. No capítulo 31 Moisés transfere a regência da congregação às mãos de Josué, e se despede do povo.

4. Esfera de Ação do Livro de Deuteronômio
    A redação do Deuteronômio ocorreu durante dois meses em que o povo esteve acampado nas planícies de Moabe (Transjordânia). Pouco antes da morte de Moisés, que já possuía 120 anos, e da liderança de Josué. Porém, quarenta anos após o êxodo do Egito – ano 1405 a.C. – “no ano quadragésimo de sua peregrinação pelo deserto” (Dt 1:3).
    Moisés havia cumprido a sua missão. Conduziu o povo de Israel durante quarenta anos pelo deserto, colocando-o, enfim, de frente para a Terra Prometida (Dt 34:1-4).

5. Algumas Características Particulares do Livro de Deuteronômio
   a) A palavra “Ouve” é usada, para chamar atenção do povo, aparecendo mais de 20 vezes no Livro.
   b) A expressão “Lembrai-vos” foi empregada cerca de 15 vezes, como exortação ao povo.
   c) O conteúdo de Deuteronômio deveria ser decorado e continuamente repetido sempre ao povo durante as gerações de Israel (Dt 6:4-9; 11:18-21).
   d) De sete em sete anos deveria ser lido ao povo, para que não esquecessem os ditos do SENHOR (Dt 31:10-13)
   e) A conservação e preservação do Livro de Deuteronômio (Dt 31:26)
   f) Em Dt 3:25-28 encontramos a única vez em que a oração de Moisés foi rejeitada.
   g) Há cerca de 90 citações do Deuteronômio no N.T
   h) O Senhor JESUS citou-o por três vezes respondendo as tentações do diabo, e vencendo-o (Mt 4:1-11). Compare:
Dt. 8:3, com Mt. 4:4
Dt. 6:16, com Mt. 4:7
Dt. 5:9, com Mt. 4:10

6. Conteúdo do Livro de Deuteronômio
Três exortações centralizam-se neste Livro: Recorda! Obedece! Cuidado!
    a) Recorda! O RESUMO DAS JORNADAS DE ISRAEL (caps.1-4) 
        Moisés resume as peregrinações de Horebe a Bete-Peor (caps. 1- 3)
        Moisés faz deste resumo base para uma exortação (cap. 4)
    b) Obedece! A REPETIÇÃO E EXPOSIÇÃO DA LEI (caps. 5 -27)
        Os Dez Mandamentos (caps. 5- 6)
        Avisos e exortações (caps. 7-12)
        Falsos Profetas (cap. 13)
        Leis cerimoniais (caps. 14- 16)
        Um futuro rei e um futuro profeta (caps. 17-18)
        Leis Civis (caps. 19- 26)
        Bênçãos e maldições da Lei (cap. 27)
    c) Cuidado! REVELAÇÃO DOS FUTUROS PROPÓSITOS DE DEUS REFERENTES A ISRAEL (caps. 28:34)
        Bênçãos e Maldições (cap.28)
        A aliança da Palestina (caps. 29- 30)
        Avisos solenes de: Moisés: aos sacerdotes, aos levitas e a Josué (cap.31)
        O Cântico de Moisés (cap.32)
        Moisés abençoa Israel (cap.33)
        A morte de Moisés (cap.34)

7. A Aplicação Prática do Livro de Deuteronômio
    a) A fórmula integral de amarmos a Deus nos é ensinada neste Livro – “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu poder.” (Dt 6:5)
    b) O apelo frequente a que o Povo de Deus ame-O e sirva-O, inspirado nesse amor, ecoa nas páginas de Deuteronômio (Dt 10:12; 11 :1,13,22; 19:9; 30:6,16,20).
    c) A condição divina para se obter a vida é o verdadeiro amor a Deus – “para que vivas” (Dt 30:6,16)
    d) Todo o nosso passado tem sido ordenadopelo amor de Deus. (Dt 7:7,8)
    e) O Amor a Deus requer a nossa obediência diária no presente. (Dt 10:12).
    f) O Amor de Deus age em prol do nosso futuro (Dt 11 :13,14).

0 Comentários:

Postar um comentário